Poema Em Terceira Pessoa

Poema Em Terceira Pessoa

Eu falo de alguém que não se encontra
É um poema das incertezas
Uma casa dos contos
Um ensaio muito morto
De onde se ouvem lágrimas aos cântaros
E você presente
Tão sua face
Tão perene
Sem estar
Eu espelho distorcido
Em retóricas improdutivas
Somas que se perdem
Cantos que se estendem
Sem rimas ou encontros perpendiculares
Se não dividimos
Não somos
Se não somamos
Quem somos?

Anderson Ribeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.