Limbo

Limbo Não ouço ecosHoje minhas palavras se perdemSem reverberaçãoNada as resvalaAs ditasAs não ditasAs futurasE as feridasOutrora outro soproEu assim meio sementeVisso de broto intermitenteFlor e espinho em mesmo taloMeio Frida” e meio caloNão mais temo a morteA vida é que me mataSofro pelas articulaçõesAs minhasE as que nunca tiveVoltaram-se contra mimDevem também estar certasNão…