Aqui e Agora

Aqui e Agora Dissimulândia é nome de miserável nação que deportou as verdades. Lá se vive de alegrias agrestes e solidões enxaminosas. É um canto de lamentos e quimeras, muitas travestidas de conforto e fortaleza. Um inóspito formigueiro, morada de nuvem devoradora. Seu hino é fúnebre e louvado em coral, sua tábua é o coração…

Enquanto escrevo pra você

Enquanto escrevo pra você Eu sei que lá fora o frio chama seu nome no ventoE canta canções de inverno em seu coração que verãoQuando sua boca e o vinho selarem o caminhoDa taça que traz na mão E se amanheço antes do diaTe perdendo num filme estranhoQue criei com um roteiro absurdoDe salto no…

Encruzilhada

Encruzilhada Eu imagino um infinito instanteOnde eu possa te explicar a dor que eu sinto em vocêTe dar razões pra imaginar um mundo bomE em um segundo acreditar haver mais porquês Não quero ser um anjo bom a te entregarA vida feita e pronta pra viverMas um motivo pra aguçar a fome que te fazDo…

Borboleta Mordida Por Tubarão

Borboleta mordida por tubarão Um dia a poesia entrou aquiTrouxe pães quentinhos, fez o café e lavou a louçaMe encheu de palavrasE foi embora sem dizer nada Depois que se foi me sufoqueiEngolindo as palavras sem querer Jogadas em mim como confete que colore antes de sujarPequenas pétalas de caos a se varrer Pisar em…

Maitre Catorta

Maitre Catorta Desassossego é um poema que nada dizUma tangente estérilNum mundo quebra-cabeçaPor mais que eu, peçaDesencaixoDesde quando deixar de morrerÉ viver de dor?O medo da morte é a medidaSe é pouco, você morreSe é muito, mata a vidaQuem chora por você?Quem vai cuidar de ti? Quem disse para o tempo sumir assim do nadaNum…

Capela Dos Sons

Capela dos Sons Uma voz segue a cantarSem saber de onde vemA vontade que alimentaEsse som que só faz bem Voz que canta aquece a almaSabe os tons e a direçãoDas pegadas que caminhamJuntos aos passos da canção Rimas roucas, frases loucasNo sentido da oraçãoMas diz tudo em notas poucasAos que escutam a canção Rimam…

Lírica Fronte

Lírica Fronte Escrevo em nuvensE denoto conotatividadeSão pequenas hipérbolesSem reclames vocativos Desembrulho analogias paradoxaisCalejadas de neologismosCom a personificação da ironiaQue cabe solene em metáforas sujas Cada palavra é uma labutaLáudano é o sorriso bomSomando pequenas pazesVencemos enormes guerras Anderson Ribeiro

Todos os Ícaros que um dia fui

Todos os Ícaros que um dia fui Todos os gritos escrevem com meu suorOs crassos erros que eu cometiDa cela escura do meu olharVejo o desenho que eu refleti De tantos ritos que eu fiz seguirPoucos serviram meu caminharA cera oculta meu dom de ouvirE me proibe do sol tocar Mas algum dia ainda escrevo…

Ruído Guia

Ruído Guia O tempo espera e rege a nota pra acontecerO acorde exala o som que grita e te faz sonharO pulso rima distorções com estremecerE então mistura alma e corpo num só lugar E eu acabei encontrando um caminhoDe divertidas pedras que fazem rolarA multidão não te deixa sozinhoUma guitarra assim não te abandona…

Meu poema “Dia do Abraço” na interpretação de Lázaro Ramos

Meu poema “Dia do Abraço” na interpretação de Lázaro Ramos   Meu poema “Dia do Abraço” sendo interpretado pelo ator Lázaro Ramos na live “Nordeste Pela Vida”, uma iniciativa importantíssima do @projmandacaru que arrecada fundos para as vitimas do covid-19 naquela região. Dia do Abraço Quando ele vemÉ nó apertadoTipo sanduícheCom molho de sorrisos Quando…