Arremedo de Dor

Arremedo de Dor Uns bilhões para Notre-DameOutros morrem de fome Anderson Ribeiro

Nem Toda Lagarta Morre Borboleta

Nem Toda Lagarta Morre Borboleta Há lagartas que nascem borboletaPorque nem todo rito é um casuloNem toda lagarta morre borboletaPorque nem todo destino tem futuroNem toda autofagia é autoralO poema da borboleta é a vontadeToda lagarta deveria morrer borboleta Anderson Ribeiro

Orquestra de Gente Doida

Orquestra de Gente Doida Uns piamUns miamUns ciamUns iamUns criamUns liamUns riamUns chiamUns que vi, viamOu viam Anderson Ribeiro

Analógico 0101

Analógico 0101 Poucas palavrasMuito sentidoE sua cobrança veladaMata minha paz amada É que somos pequenosEu menor aindaE cada vez queMe esqueço dissoDiminuo A oferta é vastaO crivo falhoE o deslumbramento do terÉ o empobrecimento do ser A tecnologia é leveMas a pena é pesadaO futuro retrocedeNão obstanteO passado urge Anderson Ribeiro

O Que Torna

O Que Torna As palavras se perderam Quando jogaram poesia Na fonte das ironias O riso se fez arena E as lágrimas acodem agora qualquer teatro O amor soa como a lauda de alforria Que liberta de não ter que ser O que era exorciza o que nunca se fez Se deveras sente O poeta…

Nenhuma Gaiola

Nenhuma Gaiola LiberdadeÉ ter asasE não ter bússola Anderson Ribeiro

Brincando Com Fogo

Brincando Com Fogo Se não de todoA loucura que explicaA matemática e os piromantesÉ a expectativaAprendi assim quando eu era astronauta eAs estrelas calçavam meu chãoA Via Láctea tem a forma da imaginaçãoE a Ilha das Incertezas que te deixa insoneÉ cercada de verdades por todos os ladosAgora, se mortoEu tenho que aprender a ser…

Nada Além de um Broadcast

Nada Além de um Broadcast Sibila a ordemCumprir é a metaNão há razãoSó a sina Vista o alforge do asnoLeve a carga sem perguntasA cabeça com viseiraÉ o que o algoz assunta Só ouça o sinalO que você dizO que te contoNão conta ponto A maioria grita o refrãoVocê tomou a vacina?Dance conforme a música…

Deixar Pra Depois

Deixar Pra Depois O futuro é olhar sem verE eu te esperei pra entender o porquêNão havia pressaMas eternas expectativas não me caem bem Você disse que viria conversar e não veioE fiz “Ausência” o seu nome do meioE em minha solidão eu fiz saber meu coraçãoQue ele não esperaria você Mas em dias de…

Do Soldo, o Saldo

Do Soldo, o Saldo Não se escrevem aforismos sem dorE vem deles os sismos que me abalamÉ que não me cabe a disciplina das máximasEm mim elas desafinam e tombamPorque toda regra tem sua excreçãoDo prumo em torno do que vivo só compro o agoraO saldo é a barriga para os meninos barulharem pumHá também…