Conto de Terror Para Adultos

Conto de Terror Para Adultos Era uma vez uma criança que adulteceu e não pôde viver feliz para sempre. Anderson Ribeiro

Le vec omo oeter

Le vec omo oeter To do poem at emse up esom asSej aem quei dio maforEdoq uef orfe itoHav end oam orEl ef lui Anderson Ribeiro

Segura na Mão de Deus

Outro dia eu tomava tranquilamente um leite fermentado desses tipo Yakult e de repente senti algo mais sólido passar pela garganta. O pânico foi tanto que não tive nem coragem de tentar interromper o processo para ver o que era. Com aquela atitude muito além da positividade, acabei de tomar com o coração resignado gritando:…

Legado

Legado – Pai, o que é realidade? – É uma terrível máquina de cortar asas, Filho! Anderson Ribeiro

Dedeus No Controle

Dedeus No Controle Já era tarde quando os dois sujeitos entraram na casa com as duas violas não se sabe por onde. O velho morador os alertou sobre o horário dizendo que dali a pouco iria dormir. Os dois teimosos, insistentes, não obedeceram e entraram para a TV de onde continuavam a cantoria. O velho,…

Prosa

Prosa Seu Passô mandou lembranças Mas meu amigo Estaporvir não me deixava prestar atenção… Anderson Ribeiro

Entre Pteranodontes e Insetos

Entre Pteranodontes e Insetos Quando chegar a minha vez eu serei vento E vou dividir o infinito em pequenos eternos Vou prestar contas de retalhos do passado Vou protestar, à máxima anuência de meus calos, o direito de tê-los Deles, o fiel da balança, é um beijo que dura um conto de fadas A história…

Somadêro

Somadêro Não obstante a pouca ciência acadêmica que trazem consigo, há tipos que transferem aos de bom acabamento do coração alguns tantos e deliciosos momentos de lúdica sapiência. Das coisas simples que sabem, que vivem e que, sem maiores intenções, ensinam, sua experiência em colecionar e cuidar de seus calos é algo de maior valia….

Os Flashs de Anderson Ribeiro

Os Flashs de Anderson Ribeiro Por Vinícius Fernandes Cardoso  Interessante no livro Algozes (1999), do contagense Anderson Ribeiro, é o texto de abertura “Viver, ou viver?”: “Este livro é, na verdade, uma ridícula carta de amor (…)” “É também uma crítica libertária, uma vontade, através da poesia (em todas as suas formas de manifestação) de…

Arte de Merda

Arte de Merda Pão é poesia? Farinha de trigo, fermento, ovos… tem que ter quem saiba fazer mas, o padeiro é um poeta? Se fosse só misturar tudo e assar seria fácil. Infelizmente (ou felizmente) nem tudo se resolve com um liquidificar e um forno. À homogeneidade e ao calor há de se juntar o…