Para Quem Não Me Viu cantar

Para Quem Não Me Viu Cantar

Pra quem não me viu cantar
Não sabe da voz a razão
Eu trago um retrato dos dias bons
Pra quem não me viu sorrir
Lá me esparramei em incontáveis eus
Só pela certeza de nada saber

Pra quem não me viu querer
Desatina em meu caso imperfeito
Eu turvo os sentidos dos dias bons
Pra quem não me viu sentir
Arbitrárias todas as canções
Que foram tiradas de mim

E apesar do tato das maldades
O eco dos bons ainda é chama
E nenhum eufemismo é maior
Que um nariz fuçador

Pra quem não me viu torcer
Jejua meu verso mais justo
Eu talho por certo meu eu melhor
Pra quem já me viu tecer
Mil planos que avizinham outros filhos
Que muitos estariam comigo

Pra quem já me ouviu chorar
Esboça sentir o que cuido
Confesso um silêncio de anseios bons
Pra quem já me viu amar
O acorde que a pele desejava
A canção estava lá

A régua de apequenar imensidões
Tem o calibre da poesia que nela caiba
Por isso preciso poder ser impreciso
Como eu que não me ouvi cantar

Anderson Ribeiro
17/05/2019

1 comentário Adicione o seu

  1. wallace silva disse:

    Adorei, simplesmente incrível. Parabéns!
    Dança Árabe Grupo Nasser, São Paulo – SP

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.