Poema Faltando Um Só

Poema Faltando Um Só

Desvirtude é quando tudo gira em torno do que não se move
É o mundo que se compra com um cheque sem fundos
E dele a regra finita é a liberdade
Você tem culpa de quê?
Pergunto por conta da alegria de mote crepuscular
Com pseudo-atitudes de heliotropismo
Lampejos de distorções indesejáveis
Você não precisa ouvir essa música
Então apure os ouvidos para se fortalecer
Enalteça o som do sangue fortemente bombeado
E só corra se o fôlego for junto da vontade
Core pelas prendas que te cantam
E assunte a ignorância das certezas
Pois elas escondem a luz nos escuros vales
Onde as sombras validam os verdadeiros monstros
Suas formas se misturam nos pesadelos
E já não reconheço os desenhos
Preciso rever as nuvens
Brio não sou nem nunca estive.
That’s all folks!

Anderson Ribeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.