Sobre Saber

Sobre Saber

Tantas palavras que não cabem mais
No meu passado que um dia terei
Foram trocadas por falar demais
De outro passado que eu não planejei

Tenho chorado como quem quer mais
Achar a chave do meu mundo, talvez
Deixar recado pra quem vir atrás
Que a gente está do mesmo lado
E é preciso ver e rever

Que foram todas sentenças que ditamos
Enquanto despistados se passavam os anos por nós
Entrincheirados na guerra que lutamos
Desencontrados uns dos outros caminhando a sós

De passos largos mais amargos de quem pressa tem
De reparar noutras pegadas no caminho pro bem
E nesse quadro desenhado com lápis toda-cor
Lembrar do viço que se tinha quando o fim era o amor

Tanta ciência ninguém sabe é um bocado demais
Achar que sabe o que cabe definir sem talvez
Antes que acabe não se gabe sem o fim do que fez
Saber ouvir e olhar mais perto o dia mais uma vez

Anderson Ribeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.