O Que Torna

O Que Torna

As palavras se perderam
Quando jogaram poesia
Na fonte das ironias
O riso se fez arena
E as lágrimas acodem agora qualquer teatro
O amor soa como a lauda de alforria
Que liberta de não ter que ser
O que era exorciza o que nunca se fez
Se deveras sente
O poeta não finge
E com a empatia dos loucos
Torna a si

Anderson Ribeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.