Maitre Catorta

Maitre Catorta

Desassossego é um poema que nada diz
Uma tangente estéril
Num mundo quebra-cabeça
Por mais que eu, peça
Desencaixo
Desde quando deixar de morrer
É viver de dor?
O medo da morte é a medida
Se é pouco, você morre
Se é muito, mata a vida
Quem chora por você?
Quem vai cuidar de ti?

Quem disse para o tempo sumir assim do nada
Num truque à francesa?
Nem anotou meu pedido num papel qualquer
Ninguém pode perder tempo!
Mas meu resumo então é dormir num acorde
Nuns dias o sono vem, noutros ele me trai
Eu versus outros planos
Meu verso não rimou
Mas vou cantar canções
Só pra você eu
Quem vai ouvir nós dois?
Quem vai cantar também?

Anderson Ribeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.