Sintonia

Sintonia Felicidade deve ser Conhecer Pessoas Tão ridículas Quanto a gente mesmo. Anderson Ribeiro

Tetra Pak

Tetra Pak Poesia de caixinha Não vale! Anderson Ribeiro

Caso Clínico (?)

Caso Clínico (?) Entrou em crise Completa crise Depois da guerra Tava gordo Queimaram-lhe os excedentes Além de outras maldades Coitado! Romperam-lhe o eixo Cortaram-lhe os pés Não sei: Entrou em crise Subiu bem alto e pulou Não morreu e entrou em crise Caso grave com o café Devia ver um psicólogo Anderson Ribeiro

Poema Flor-Da-Vida (Ou Da Morte)

Poema Flor-Da-Vida (Ou Da Morte) Chagar-se com espinho dessa flor É morrer o canto É se bastar, por um instante, na própria vida É nessa, onde éreis vivo, ser morto Anderson Ribeiro

Soma

Soma É de alegria que vivo Meu instante se perpetua efêmero A felicidade é póstuma Anderson Ribeiro

Distopia

Distopia A gente vive numa mentira tão grande Que me aconselharam ser mais realista Quando busquei a verdade. Anderson Ribeiro

Caça Às Bruxas

Caça às Bruxas Não seja o alvo Não tenha motivo Mantenha-se a salvo Encare passivo Não saiba o contexto Não leia a respeito Defenda o pretexto Não seja suspeito Não poupe o tiro Proteja sua guarda Não dê um suspiro Se o medo se alarda Não tenha desejos Não ouça outro rito Não conte seus…

Dicotomia

Dicotomia E eu que não queria ser dono de nada Tenho que tomar conta de um mundo Adornos de minha poesia pragmática Esses castigos de matemática Redenção não é meu forte E hoje só sonho por esporte Assisto meu túmulo que jazz por mim What I can do for him? Aquele meu eu Este meu…