Tetra Pak

Tetra Pak Poesia de caixinha Não vale! Anderson Ribeiro

Poema Flor-Da-Vida (Ou Da Morte)

Poema Flor-Da-Vida (Ou Da Morte) Chagar-se com espinho dessa flor É morrer o canto É se bastar, por um instante, na própria vida É nessa, onde éreis vivo, ser morto Anderson Ribeiro

Soma

Soma É de alegria que vivo Meu instante se perpetua efêmero A felicidade é póstuma Anderson Ribeiro

Distopia

Distopia A gente vive numa mentira tão grande Que me aconselharam ser mais realista Quando busquei a verdade. Anderson Ribeiro

O Cara

O Cara No Face é gato Na vida é rato. Anderson Ribeiro

Gôndola Fria

Gôndola Fria Guarde seu amor de prateleira Porque o meu não fica na geladeira Anderson Ribeiro

Além

Além Não entenda meu silêncio como maldade Porque eu não confundo seu sorriso com verdade Anderson Ribeiro

Nova Brasília

Nova Brasília Tinha caráter Mas estava em promoção. Anderson Ribeiro