31 de Agosto

31 de Agosto

E se a angústia estabelecida rumina pelos dias
E badala sinuosa feito íngua latejante
A ducha leve alivia o sapateado dos dentes
20 gotas contra febre e calafrios ficaram para trás
Quero contos de passarinhos da idade das pedras
Quero coragem de juventude e estirpe pagã
Não obstante a história mais conte dos ritos
A língua distante reclama dos abraços que faltam
A banda presente lembra a metade que não veio
Com a pedra solar encontraria o caminho
Atravessaria o nevoeiro em dias nublados
Encontraria palavras fora de série
Desanuviado seria o sonho e a conquista
Quem tem medo faz da moita morada
Meu credo é louco e solidário
Eu pedra dura
Leia-me nos arranhões
Sou bravuras!

Anderson Ribeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.