Mais Que Meio Copo de Tudo ou Nada

Mais Que Meio Copo de Tudo ou Nada Nem tudo sou euHá também vocêHá os outrosE até ficçãoFalo de muitosE de nadaDesabroche a percepçãoPara se aproximarOnisciência não cabePermita-se às vezesIgnorante Anderson Ribeiro

Deixar Pra Depois

Deixar Pra Depois O futuro é olhar sem verE eu te esperei pra entender o porquêNão havia pressaMas eternas expectativas não me caem bem Você disse que viria conversar e não veioE fiz “Ausência” o seu nome do meioE em minha solidão eu fiz saber meu coraçãoQue ele não esperaria você Mas em dias de…

Do Soldo, o Saldo

Do Soldo, o Saldo Não se escrevem aforismos sem dorE vem deles os sismos que me abalamÉ que não me cabe a disciplina das máximasEm mim elas desafinam e tombamPorque toda regra tem sua excreçãoDo prumo em torno do que vivo só compro o agoraO saldo é a barriga para os meninos barulharem pumHá também…

31 de Agosto

31 de Agosto E se a angústia estabelecida rumina pelos diasE badala sinuosa feito íngua latejanteA ducha leve alivia o sapateado dos dentes20 gotas contra febre e calafrios ficaram para trásQuero contos de passarinhos da idade das pedrasQuero coragem de juventude e estirpe pagãNão obstante a história mais conte dos ritosA língua distante reclama dos…

Canto de Inverno

Canto de Inverno Trouxe pedras de rio para compor o jardimRimas artesanais, flores, Tequila e Jack Daniel´sUm janela dentro de casaA jovem brisa que vem de cima junto à luzA poesia dos bons sabe onde me encontrarSe lá fora é dorCá dentro, amor Anderson Ribeiro