Canção dos Sentidos

Eu vejo dias claros em promessas de sonhos impossíveis
Eu tenho planos e claro que os sonhos lá fora são mais livres
Eu sou aquele mais velho que o tal coração não cresceu
O mais novo que fala sem vingar nos ouvidos perdidos

Eu acredito nos olhos e encaro de volta atento
Aceito rimas e acordes que me acordem quando eu só for vento
Estabeleço um limite que começa no seu infinito
E vai até o momento que transborde o seu dom mais bonito

Eu imagino teus lábios entoando a canção dos sentidos
E num arranjo espontâneo onde caiba ainda um sorriso
Eu ouço cada palavra e reforço a mais bela canção
E nossas línguas se calam para que o instante dê cor à ação

Mas se não for tão forte o que te faz andar por suas pernas
Eu me desdobro em retalhos pra você escolher o caminho
E de pedaço em pedaço vejo seu sua força, sua cria
E do labor nos destroços acontece a mais linda magia

Eu já não sou mais o mesmo, agora sinto que posso me ver
Eu já não me despedaço se o menino se recusa a crescer
E das palavras que disse eu espero ouvidos serenos
E dos silêncios que falam, deles quero o sentido mais pleno.

Anderson Ribeiro
13/06/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *