Máquina do Tempo

Penso no tempo do qual desapercebo em seu instante e dou conta do haver de domá-lo. Não Mensurar horas, contabilizar dias (ou segundos), mas saber, sem saber, não perder tempo. Tangente no corpo, na alma, o prazer. Sou eu, do meu tempo, o senhor, pois o corpo acompanha o tempo do sorriso ou do desassossego, do cansaço ou da superação… do corpo. Máquina do pensar, feliz aquele que faz do corpo, máquina do tempo.

Anderson Ribeiro
17/06/2007

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *