Poematrema

Poematrema

Nem todos os is tem pingos
E us que se pingam, deles há quem trema
Antes da sintaxe, há o coração
Antes dele, a vontade
Subentendida é a lógica
Ela, aquela utópica
Desmorona pelo improviso
Não é culpada
É distorcida
A raiva é amor
Cabe à semântica decidir
Senão ela, o tempo
Ouve
Se não há
Houve
Sou poros
Sou vísceras
Sou canto
Sonoro e geográfico
Os dois
Ou mais
Ou síntese
Há quem trema
Us que se pingam
Is incompletos

Anderson Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *