Put The Body On The Boat

Put The Body On The Boat O vazio é cheio de vontades E pequenos eternos não duram mais que uma urgência O alvo está marcado mas a mira titubeia Valha-se da refração e duvide Despeça-se do corpo e acenda a pira Nenhum ritual dura para sempre Bem ou mal o rio sabe o caminho E,…

Presente

Presente Futuro é saberQue o passado viveuO melhor durante Anderson Ribeiro

Data Venia

Data Venia No final era um bando Jogaram comida, juntaram Tacaram pedra, correram Anderson Ribeiro

Rito

Rito O que eu não canto eu desejo O que eu não vivo eu ensejo Pelo que eu não morro eu festejo Para o que eu não tenho voz eu revejo Os agudos que me faltam eu gravo Os graves que me cabem eu grito Os sons que me forjam não ouço Minhas rimas pobres…

Museu das Posteridades

Museu das Posteridades A letra da canção É a minha voz Não a letra da canção Sentido A vontade da minha voz É a canção Não a canção Contrastes Sou o guardião De passados alheios E os sonhos Sei-os fora do peito Do coração Que por eles já bateu Além do meu Vivo Entre os…

Good night, moon!

Good night, moon! O primeiro passo é abrir o portal Depois cabe decantar a canção A demência que alivia o plágio A entrega do amor umbilical Ele traz a cúmplice espontaneidade E um casto protagonismo Good night, moon! Eu sempre estive aqui com você! Diga It was alright, baby! Yesterday and tonight Amanhã já passou…

Untill 27

Untill 27 Se cidadãos de bem rasgam os livros E presos às correntes de redes sociais Jogam as chaves ao mar Quem é mergulhador? Porque ter poucos amigos não é problema Inescusável é que entre os poucos Sejam tímidos ou loucos Não se possa montar uma banda de rock Dos muitos de tantas respostasPoucos se…

Poema Que Não Escrevi

Poema Que Não Escrevi Eu busco um verso definitivo Deus, me dá? Ele não precisa dizer tudo Só um rumo nessa vida Eu quero um canto em muitas vozes Deus, me dá? O som não tem que ser perfeito Só um coro que convida Quem sabe um corpo sem ar triste? Deus, me dá? Que…

Para Quando Amanhecer

Para Quando Amanhecer Era um estranho encantamentoCom o poder de se super sentirOnde o volante era o ventoQue explicava aonde ir Urgia o avesso da pressa Juntava tempo e abraços E num pedacinho de mundo Viajava até pro espaço Um gigante nele mesmo Por detalhes pequeninos Reclamava as alegrias Imaginando violinos Cantava o som do…

Assassinado Pelo Autor

Assassinado Pelo Autor Era no desjejum beber pétalas E florir poemas pelo dia E mesmo quando comer não podia Vivia de si sem metas Era inteiro por ter companhia E de tão uno se dividia E de tanto criar Era cria Fora terceira constante Viu ser primeira distante Desfez os nós delirante Então assumi hesitante…